Buenos Aires - - Sábado 24 De Outubro

Home Turismo Tucumán Vamos passar alguns dias para... Quilmes

Vamos passar alguns dias para... Quilmes

Sergio Dubrosin, um leitor de Ser Argentino, nos diz a melhor maneira de aproveitar uma viagem por Tucumán

Tucumán
Sim, eu sei, tenho certeza que eles passam por Quilmes muitas vezes, e eles não vêem muita atração turística. Mas refiro-me à “Cidade Sagrada dos Quilmes” de Tucumán, bela zona dos Vales de Calchaquíes onde residiam as comunidades originais dos Quilmes. A história nos diz que eles permaneceram lá desde os 800 anos da nossa era. Eles foram conquistados pela primeira vez pelo Império Inca (inclusive dentro da província de Collasullo) até que, em 1667, quando, apesar de defenderem durante anos dos avanços realistas espanhóis, eles finalmente claudicaram. 1.700 sobreviventes foram transferidos/banidos a pé, como a única maneira de finalmente dobrá-los, para a vizinhança de Buenos Aires Aires (atual cidade de Quilmes, origem do seu nome), onde apenas 400 deles chegaram. Valorizar este espaço e estar nos Vales de Calchaquíes, com suas paisagens, montanhas e vinhos é um presente para o espírito. O passeio pelos locais restaurados não leva mais de uma hora, com um serviço de guias comunitários bem treinados que conhecem perfeitamente a história do lugar e da região. Esta duração é para aqueles que optam por fazer o passeio em “modo básico”, mas muito recentemente foi inaugurado um Centro de Interpretação da Cidade Sagrada dos Quilmes. Este lugar foi criado inteiramente para gerar um espaço interpretativo que transmite e perpetua a memória ancestral desta cidade original. Tem quatro salas que se relacionam através de diferentes recursos visuais, auditivos e táteis vários aspectos da vida dos Quilmes. Vale a pena experimentar. Minhas sugestões: 
  1. Viajar este espaço é incrível, mas a visita é incompleta para aqueles que olham para as ruínas da base onde é acessado de carro e a pé. Eu recomendo investir mais duas horas e subir para “as torres de vigia” (por caminhos sinalizados de baixa e média dificuldade), que foram os espaços da infra-estrutura defensiva da Cidade Santa, pontos panorâmicos onde o ambiente foi guardado, e como tal, oferecem vistas muito amplas da parte agora restaurada de que é ainda intacta sob os montes da terra, esperando para ser descoberto e restaurado por arqueólogos e arquitetos.
  2. Se você puder, entre no início da manhã tipo 9 a.m. e traga muita água, desde então é bastante quente, especialmente durante os meses de primavera e verão.
  3. Há boas casas de banho, mas o restaurante e o hotel estão fechados. O concurso para reabri-los já está em andamento, mas eu não acho que ele estará disponível até a primavera de 2019. Não há um bom lugar para se sentar e se acalmar. Como alternativa existem apenas pequenos quiosques que oferecem artesanato, algo para beber e comer (recomendo empanadas) na “semi sombra”.

Data de publicação: 13/11/2018

Compartilhar
Classifique este item
0/5

Temas

Escrever! Notas do leitor

Vá para a seção

Comentários


Não há comentários

Deixe um feedback


Comentários

Argentinos em todo o mundo
Feminismo obra Uma água-viva em Nova Iorque

O trabalho do argentino Luciano Garbati foi colocado em um parque na cidade. O mito da Medusa, com u...

Pegada Solidária
Gran Gala por los Niños 2020 Grande Gala para Crianças 2020

Chega o terceiro evento de caridade organizado pela Fundação Julio Bocca, Manos en Acción e Children...

História
 Justo José de Urquiza Urquiza, arquiteto da Nação

Outubro é também o mês de Justo José de Urquiza, um estadista entrerriano que colocou a Pátria à fre...

Tradições
Olimpíadas culturales A Olimpíada Cultural tem a sua festa

Maggiolo é uma pequena cidade em Santafesino onde se realiza um festival muito original: o da Olimpí...

Artigos


Eu quero estar atualizado

Assine a nossa newsletter e recebi as últimas notícias