clima-header

Buenos Aires - - Terça 19 De Janeiro

Home Pessoas É assim que somos Nas garras da besta

Nas garras da besta

As brigas dos vizinhos são um tópico bastante freqüente. Infelizmente, mais do que pensávamos.

É assim que somos

As brigas dos vizinhos são um tópico bastante freqüente. Infelizmente, mais do que pensávamos. O que estou prestes a dizer aconteceu no General Pico, província de La Pampa. Aparentemente, a vítima (na verdade, o dono da vítima, você verá o que quero dizer), tinha um animal de estimação, que era seus filhos. Aquele animal de estimação era um gato. Até agora tudo é mais ou menos normal. Seu vizinho também tinha animais de estimação. Foram dois pitbulls. Ainda é normal, mas imagino que veja de onde veio o problema. Bem, vamos direto ao ponto: a luta do bairro levou ao fato de que vai ser conhecido por que (eu procurei, mas não encontrei os dados em nenhum lugar), no turbilhão da discussão, o salgueiro agarrou o felino e atirou-o para os pitbulls. Nem preciso contar o que aconteceu.

Há duas coisas que estou interessado em mencionar. Primeiro, nenhum cão é mau. São animais, não têm mal porque não têm discernimento. Para ser mau, é preciso ser capaz de distinguir o bem do mal, o que só é alcançado através da razão e da linguagem (poderíamos discutir a linguagem, a razão não). E os animais não são seres racionais. Então tudo depende das condições de vida e do tratamento dado por seus donos, seres que às vezes são certos e às vezes eu tenho a dúvida.

Em segundo lugar, e acorrentado a esta questão de saber se os proprietários são seres racionais ou não, o que diabos você tem que ter em sua cabeça para que, em resposta a um argumento doméstico, você mate (ou envie para assassinar) um animal de estimação? Recentemente li uma nota que se os humanos matassem os animais que comemos, a maioria de nós seria vegetarianos.

Lembro-me de quando era criança, na casa da tia do meu pai que vivia no campo, testemunhei a morte de uma galinha que, obviamente, comemos depois. Eu teria cerca de cinco anos. Nunca me esqueci da cena. Vamos ser claros: não estou criticando matar um inseto para comê-lo, mas matando-o por prazer. E se não tiveres coragem para te matar, mas usares os teus cães para isso, não encontro mais um adjectivo para o qualificar. O que mais me dói nesta história é, é claro, a imagem que as crianças que ficam sem um gato vão manter. Mas, sem dúvida, as outras vítimas são os pitbulls, que caíram nas garras de uma besta.

Data de publicação: 17/01/2019

Compartilhar
Classifique este item
0/5

Temas

cat1-artículos

Escrever! Notas do leitor

Vá para a seção

Comentários


Não há comentários

Deixe um feedback


Comentários

Tradições
Mercado Central de Mendoza O Mercado Central de Mendoza, um clássico

Na cidade de Mendoza, o Mercado Central opera há anos. Produtos regionais, entretenimento e restaura...

Argentinos em todo o mundo
berlin-covid A entrerriana que enfrenta o COVID-19 de Berlim

Sofia Ramírez é uma jovem paranaense que está sediada na cidade de Berlim, Alemanha. Como atravessam...

História
semana tragica titular A Semana Trágica: aquele sangrento janeiro de 1919

Em uma semana semanal, o movimento operário argentino nasceu como unidade de negociação. E o primeir...

Espetáculos
autocine A antiga fábrica no Paraná se transformou em um drive-in

Novas oportunidades surgem da pandemia e das crises. Vamos falar sobre a história do novo cinema dri...

fm-barcelona

Artigos


Eu quero estar atualizado

Assine a nossa newsletter e recebi as últimas notícias