Buenos Aires - - Terça 24 De Novembro

Home Gastronomia “Alguns vinhos serão feitos neste vale que o mundo falará...”

“Alguns vinhos serão feitos neste vale que o mundo falará...”

Vinhos na Rioja precordillera.

Gastronomia
Chañarmuyo

A palavra  conquista  remete infalivelmente para a dominação de nossos aborígenes pelos espanhóis, mas em nossa herança histórica esses povos originais também foram subjugados por outros estrangeiros na era pré-colombiana.

Os diaguitas obter sua denominação quechua que significa “serrano” imposta pelos Incas em sua submissão, uma palavra que foi então disseminada pelos espanhóis. A designação refere-se ao lugar onde viviam perto das cordas da montanha no noroeste da Argentina.

Famatina é uma cidade na província de La Rioja, Argentina, onde está localizado o Vale Chañarmuyo, uma área habitada pelos diaguitas ao pé da Serra del Paimán, que é guardada pela bela lenda da solteira filha Keo do chefe da tribo.

O Vale Chañarmuyo é um oásis no meio de um deserto rochoso com vegetação escassa que é cercada por montanhas, mais antigas do que a vizinha Cordilheira dos Andes, no noroeste da província. Localizado a 1720 metros acima do nível do mar, atende condições únicas no mundo. O solo acidentado contrasta com o verde de cardos gigantes que procuram com os braços tocar os raios do sol.

O nome deste vale deriva da conjunção de duas palavras.  Chañar   é uma árvore característica do nosso país e muito abundante nesta área e é muito usado na Espanha para nomear “aldeias negras”, devido à cor de suas construções, mas também significa “mutilado”, com o qual se pode deduzir que seu nome faz  referência a uma árvore chañar que tem sido de alguma forma mutilado ou queimado.

Neste contexto de história, cultura e geografia alguém disse: “Haverá alguns vinhos neste vale que o mundo falará...”.

A Vinícola Chañarmuyo está presente no pântano e a partir dele são lançados grandes vinhos que a colocam em lugares de prestígio.

Chañarmuyo Reserva Tannat 2014 é um vinho intenso de grande corpo e concentração. Varietal com muita personalidade e caráter que o distingue com grande franqueza. São reconhecidos taninos macios, robustos, redondos e presentes. Possui uma cor vermelha intensa e profunda com reflexos violeta.

Dá ao paladar uma agradável memória de figos maduros enriquecidos e destacados com notas de frutos vermelhos maduros e especiarias. Notas delicadas de chocolate amargo e café aparecem. O acabamento é longo, complexo e único.

Desses povos há apenas algumas histórias e costumes em seus habitantes nativos que cedem no cultivo da videira, amor e respeito ao terroir que abrigou suas práticas agrícolas ancestrais que se desenvolveram ao pé das montanhas em um vale deserto.

O anfitrião da adega conclui: “No vinho, a Argentina tem muito a mostrar. E La Rioja em particular. E nós deste terroir abençoado. O teto é alto, graças a Deus!”.

Data de publicação: 22/10/2020

Compartilhar
Classifique este item
0/5

Te sugerimos continuar leyendo las siguientes notas:

Vinhos Rioja de alta qualidade presentes na Feira de Buenos Aires
Dos vinos Dois vinhos 100 pontos

Temas

Escrever! Notas do leitor

Vá para a seção

Comentários


Não há comentários

Deixe um feedback


Comentários

Empresas e Negócios
 vitivinicultura Viticultura e seus carrascos

A vitivinicultura de Mendoza deve lutar, em cada estação, contra alguns fatores imponderáveis, como...

Argentinos em todo o mundo
cuchillos Rachadura de facas

Diego está fazendo facas de crack. Ele fez um com partes do símbolo de Santa Fé e hoje ele está nos...

Argentinos em todo o mundo
Familia Nómade Família Nômade, Parte Dois

Se você quer saber como levar uma vida de forma nômade, não perca esta nota.

Tradições
 Coronel Arnold Santa Fe Sol e amizade em Coronel Arnold

Não conhecia a pequena cidade de Santafesino de Coronel Arnold? O Festival Nacional do Sol e da Amiz...

Artigos


Eu quero estar atualizado

Assine a nossa newsletter e recebi as últimas notícias