Buenos Aires - - Quinta 22 De Outubro

Home Gastronomia Algo sobre mate (tudo, seria demais!)

Algo sobre mate (tudo, seria demais!)

A frase mais ouvida depois de “Olá”, é “Quer um companheiro?”

Gastronomia
Compartilho com vocês algumas considerações que achei interessantes. Suponho que muitos já sabem, que o nome da planta erva-mate é” Ilex Paraguayensis ”. É uma árvore nativa da América do Sul, zonas subtropicais, e que a Argentina compartilha o berço desta planta nobre, com o Brasil e o Paraguai. O que você pode não saber, se você não visitar as áreas de produção, é que um dos nomes comuns é “Yerba de los Jesuítas”, já que foram os monges missionários jesuítas que observaram e ensaiaram como iniciar o cultivo intensivo da planta. Antes disso, os habitantes nativos do lugar, eles simplesmente coletaram os ramos e as folhas, das plantas que cresceram “sozinhas”... bem, nem tanto... eles perceberam que plantar as sementes não era suficiente. Que era necessário que eles fossem previamente comidos e digeridos pelos animais locais (aves, roedores, mamíferos) para germinar... Então eles tentaram imitar com sucesso o efeito natural necessário para a germinação, quebra, ligeiramente escarificação, as sementes. Graças a esses começos, começaram as plantações atuais da bebida que mais gostamos para argentinos e nossos vizinhos. É uma planta não muito fácil de cultivar, devido às condições de solo e clima exigidas; mas graças à pesquisa de organismos públicos e privados, dedicados a ela, temos melhor genética e maior rendimento produtivo. Mate sempre foi parte da comida dos povos nativos da área. Para os Guarani era “caá” (grama ou planta) “mate” (de Quechua, a pequena abóbora em que beberam a infusão). Hoje, continuamos com o hábito entrincheirado de tomar companheiro preparado em abóbora, e ainda faz parte do mais elementar da nossa dieta. E mantemos gostos muito especiais, que exigem muito cuidado e cuidado no processamento de erva-mate... E nós argentinos somos muito exigentes sobre isso! Mas isto, digo-te na próxima saída. Tal como acontece com o chá, a maior parte da área cultivada para a erba está na província de Misiones, e em menor grau na província de Corrientes. Não, não é bebida nacional argentina (o vinho tem essa honra), mas é bastante popular. Em todas as casas, há pelo menos um companheiro, de qualquer material, para beber e/ou convidar visitantes. Acho que a frase mais ouvida depois de “Olá” é “Você quer um companheiro?”... Não é isso mesmo?

Data de publicação: 02/08/2018

Compartilhar
Classifique este item
0/5

Temas

Escrever! Notas do leitor

Vá para a seção

Comentários


Não há comentários

Deixe um feedback


Comentários

Tradições
Expo Citrus Se você quer um citrino, vá para Concordia

A cidade entrerriana de Concordia é tão famosa por sua atividade cítrica que tem uma festa onde você...

Argentinos em todo o mundo
argentina en Dinarca Um madrynese solto na Dinamarca

Em 2015, Mariana Cagnoli casou-se com um jovem dinamarquês e, quatro anos depois, tomaram a decisão...

História
presidentes Córdoba 6 presidentes formados em Córdoba

Nós dizemos quem são os profissionais que se formaram na Universidade Nacional de Córdoba que vieram...

Tradições
 turismo y viñedos Aniversário Cutral Có: terra de petróleo, turismo e vinhedos

Entrevistamos José Rioseco, prefeito de Cutral Có, que nos contou sobre esta bela cidade petrolífera...

Artigos


Eu quero estar atualizado

Assine a nossa newsletter e recebi as últimas notícias